Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assédio Moral no ambiente de trabalho

Notícias

Assédio Moral no ambiente de trabalho

Situações que ridicularizam os funcionários com frequência, exposições desnecessárias ou o superior usar de erros para constranger algum subordinado. Você já passou ou presenciou alguma dessas situações? Se a resposta for sim, você já esteve diante de um caso de assédio moral.

A Gerente de Ouvidoria do Estado de Pernambuco, Karla Júlia, explica que a Organização Internacional do Trabalho (OIT) descreve o assédio moral como o comportamento para rebaixar alguém, por meio de meios vingativos, cruéis, maliciosos ou humilhantes. A violência ocorre quando as críticas são repetitivas e desqualifica o colaborador, isolando o funcionário do contato com o grupo e difundindo falsas informações sobre ele.

Onde procurar ajuda

Como não é um assunto muito difundido, existe quem não saiba que isso é uma violência e acredita ser normal passar por situações desagradáveis no local de trabalho, além de não saber onde procurar auxílio. A vítima do assédio moral poderá buscar ajuda na área de Recursos Humanos de onde trabalha, nas Ouvidorias (públicas ou privadas), na Comissão de Ética, se houver, nos Sindicatos, no Ministério Público, na Justiça do Trabalho, no Conselho Regional de Medicina ou em órgãos similares.

O que fazer

Karla Júlia ressalta que é importante fazer a denúncia, informar as humilhações sofridas (data, hora, local, nome do agressor, testemunhas e outras informações que ajudem a identificar o insulto) e apresentar fatos comprobatórios que possibilitem apuração. A denúncia não poderá ser "subjetiva" baseada na própria "opinião pessoal". Deve-se evitar conversar com o assediador sem testemunhas. Também é importante buscar o apoio dos colegas, amigos e familiares para o fortalecimento de sua autoestima e dignidade profissional.

Como prevenir

Segundo a Gerente de Ouvidoria, a compreensão sobre o que é assédio moral possibilita aos gestores e servidores públicos ação preventiva, que ajuda a manter um ambiente de trabalho saudável, sem que atitudes abusivas de perseguição gerem humilhações. “Recomenda-se, para tanto, algumas ações preventivas: palestras; orientações técnicas; boletins sistemáticos; Pesquisa de Clima Organizacional; instauração de um Comitê de Ética para apuração dos casos de Assédio Moral; política de valorização do capital intelectual da organização, dentre outras medidas profiláticas recomendáveis”, alertou.

 

Por Kécia Pereira